2 de dez de 2008

Seminário Proinfo e TV Escola/2008 - Sul


A Secretaria da Educação a Distância (SEED) por intermédio das Diretorias de Infra-estrutura em Tecnologia Educacional (DITEC) e de Programas de Capacitação em EAD (DPCEAD), realizou em Florianópolis nos dias 18, 19, 20 de novembro, o Seminário Proinfo e TV Escola 2008 - Edição Sul. Participaram deste curso as Multiplicadoras Cecilia e Marilza que fazem parte da equipe do NTE/São Joaquim.
O Proinfo, programa nacional de tecnologia educacional, é uma das iniciativas do Ministério da Educação para promover o uso pedagógico das diversas tecnologias da Informação e Comunicação. Com três dimensões de trabalho: infra-estrutura, capacitação e conteúdo. A dimensão de infra-estrutura significa colocar até 2010, computadores em todas as 148.000 escolas públicas brasileiras com internet banda larga. A segunda dimensão é a capacitação dos professores para o uso desses recursos, o professor precisa dominar a tecnologia e gostar desse processo interativo. Essa dinamização deixa a sala de aula mais criativa, os alunos gostam, e podem construir um processo cognitivo que o levem para além dos muros da escola, para além dos livros didáticos. E, por intermédio dos NTEs, os multiplicadores passam a participar do processo de disseminação desta tecnologia nas escolas. A terceira dimensão é a questão do conteúdo, oferecer aos professores os conteúdos, neste sentido, a TV Escola que faz parte deste pacote de mídias integradas, o portal do professor, que também é um acesso aos conteúdos, com um banco de elementos educacionais. Mas tudo isso só vai funcionar, se tiver um grupo entusiasmado fazendo as capacitações promovendo a inclusão digital dos professores e gestores das escolas públicas que são os NTEs que permitem um ambiente entusiasta. É difícil implementar uma nova cultura, então através de uma série de processos, é que finalmente, vai desembocar na mudança cultural da escola frente as tecnologias. Segundo especialistas, o domínio das diferentes linguagens tecnológicas, contribuem para a construção do conhecimento, além disso alunos e professores passam a ser produtores em rede e na rede.

1 de dez de 2008


Educar o educador


José Manuel Moran
Especialista em mudanças na educação presencial e a distância


Texto inspirado no capítulo primeiro do livro: MORAN, José Manuel, MASETTO, Marcos e BEHRENS, Marilda. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. 14 ª ed. Campinas: Papirus, 2007, p.12-17

Aprender a ensinar

Um dos eixos das mudanças na educação passa pela transformação da educação em um processo de comunicação autêntica e aberta entre professores e alunos, principalmente, incluindo também administradores, funcionários e a comunidade, principalmente os pais. Só vale a pena ser educador dentro de um contexto comunicacional participativo, interativo, vivencial. Só aprendemos profundamente dentro deste contexto. Não vale a pena ensinar dentro de estruturas autoritárias e ensinar de forma autoritária. Pode até ser mais eficiente a curto prazo - os alunos aprendem rapidamente determinados conteúdos programáticos - mas não aprendem a ser pessoas, a ser cidadãos.

Com ou sem tecnologias avançadas podemos vivenciar processos participativos de compartilhamento de ensinar e aprender (poder distribuído) através da comunicação mais aberta, confiante, de motivação constante, de integração de todas as possibilidades da aula-pesquisa/aula-comunicação, num processo dinâmico e amplo de informação inovadora, reelaborada pessoalmente e em grupo, de integração do objeto de estudo em todas as dimensões pessoais: cognitivas, emotivas, sociais, éticas e utilizando todas as habilidades disponíveis do professor e do aluno.

Cada um de nós professores/pais colabora com um pequeno espaço, uma pedra, na construção dinâmica do "mosaico" sensorial-intelectual-emocional de cada aluno. Ele vai organizando continuamente seu quadro referencial de valores, idéias, atitudes, a partir de alguns eixos fundamentais comuns como a liberdade, a cooperação, a integração pessoal.

Só podemos educar para a autonomia, para a liberdade com autonomia e liberdade. Uma das tarefas mais urgentes é educar o educador/pai para uma nova relação no processo de ensinar e aprender, mais aberta, participativa, respeitosa do ritmo da cada aluno, das habilidades específicas de cada um.

É importante termos educadores/pais com um amadurecimento intelectual, emocional e comunicacional que facilite todo o processo de organizar a aprendizagem. Pessoas abertas, sensíveis, humanas, que valorizem mais a busca que o resultado pronto, o estímulo que a repreensão, o apoio que a crítica, capazes de estabelecer formas democráticas de pesquisa e de comunicação.

Só podemos ensinar até onde conseguimos aprender. E se temos tantas dificuldades em ensinar, entre outras coisas, é porque aprendemos pouco até agora. Se admitíssemos nossa ignorância quase total sobre tudo - tanto docentes como alunos - estaríamos mais abertos para o novo, para aprender. Mas ao pensar que sabemos muito, limitamos nosso foco, repetimos fórmulas, avançamos devagar.

Sabemos muito, mas não sabemos o principal. Temos conhecimentos pontuais, mas nos falta o referencial maior, o que dá sentido ao nosso viver. Por que e para que aprendemos? Quando só temos objetivos utilitaristas - como conseguir um diploma, um emprego, ganhar dinheiro - isso concentra nossos esforços, mas estreita nosso raio de visão, de percepção.

Temos visões parciais, que se constroem com dificuldade e estão inseridas numa dinâmica informativa volátil. Se aceitamos isso profundamente e com confiança, poderemos começar a procurar com menos ansiedade, a intercambiar nossas pequenas descobertas, a estarmos mais atentos a tudo, a não acreditar em verdades dogmáticas, simplistas. Perceberemos que a realidade é muito mais complexa do que as explicações científicas e que, ao mesmo tempo, iremos apoiando-nos na ciência para avançar a partir dela sem cair em explicações sem consistência.

Ensinar não é só falar, mas comunicar-se com credibilidade. É falar de algo que conhecemos intelectual e vivencialmente e que, pela interação autêntica, contribua para que os outros e nós mesmos avancemos no grau de compreensão do que existe.

Ensinaremos melhor se mantivermos uma atitude inquieta, humilde e confiante com a vida, com os outros e conosco, tentando sempre aprender, comunicar e praticar o que percebemos até onde nos for possível em cada momento. Isso nos dará muita credibilidade, uma das condições fundamentais para que o ensino aconteça. Se inspirarmos credibilidade, poderemos ensinar de forma mais fácil e abrangente. A credibilidade depende de continuar mantendo a atitude honesta e autêntica de investigação e de comunicação, algo não muito fácil numa sociedade ansiosa por novidades e onde há formas de comunicação dominadas pelo marketing, mais do que pela autenticidade.

Só pessoas livres - ou em processo de libertação - podem educar para a liberdade, podem educar livremente. Só pessoas livres merecem o diploma de educadoras. Necessitamos de muitas pessoas livres na educação que modifiquem as estruturas arcaicas, autoritárias do ensino. Só pessoas autônomas, livres podem transformar a sociedade.

23 de nov de 2008

Curso de Capacitação em Redes e Servidores em Linux

A equipe de multiplicadores do NTE São Joaquim, participou do Curso em Laguna de 10 a 14 de novembro.
O Curso teve como objetivo promover oficinas para transferir o conhecimento tecnológico para multiplicadores dos NTEs – Núcleos de Tecnologia Educacional das Secretarias de Desenvolvimento Regionais de Santa Catarina/Gerências de Educação e servidores que atuam no Programa de Inclusão Digital Beija-Flor, além disso, capacitar para o uso do Software Livre Linux Educacional que estão instalados nos laboratórios de informática do Proinfo/SED e também em configuração de Servidores de Rede, propiciando a esses multiplicadores conhecimento para ajudar na resolução dos problemas dos laboratórios de informática.

19 de set de 2008

Curso Tecnologias na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TICs








Aconteceu nos dias 10, 11 e 12 de setembro em Florianópolis, o Encontro de Formação dos Multiplicadores do curso Tecnologias na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TICs.
O encontro reuniu multiplicadores de toda a região sul, coordenadores estaduais do programa Proinfo Integrado e formadores dos Núcleos de Tecnologia Educacional estaduais e municipais (NTEs).

18 de set de 2008

COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA USAR TECNOLOGIA EM SALA DE AULA




Quais as competências e conhecimentos necessários para usar tecnologia (internet), em sala de aula? Se você é professor ou professora, já deve ter se perguntado isso. Se você já usou alguma ferramenta como o Google Earth nas suas aulas, deve estar se perguntando como melhorar? E para quem nunca teve essa oportunidade, deve estar mais “perdido” ainda, sem saber como começar.
Essa é uma das perguntas que me fazem com freqüência, professores querendo usar internet e tecnologia como apoio nas suas aulas, mas sem saber como fazer para implementar os recursos e organizar o seu plano de ensino. Até pouco tempo atrás, bastava saber montar as aulas no PowerPoint que era suficiente, mas hoje a demanda está muito maior!

Uma pequena lista com os recursos que devem ser evidenciados no seu estudo:
Usar de maneira eficiente uma ferramenta de busca: Quando você precisa pesquisar material para aulas, muito provavelmente deve recorrer ao Google. Saiba que a busca no Google, pode ser melhor executada com o uso de operadores de pesquisa, que filtram de maneira surpreendente os resultados e podem trazer conteúdo interessante para as suas aulas. Qualquer professor que precise preparar material para aulas, deveria conhecer e aplicar esses operadores, na busca por material para ilustrar e enriquecer suas aulas. Além disso, existem opções como o próprio Google Acadêmico.
Conhecer e usar redes sociais: As redes sociais podem trazer ainda mais conteúdo para quem precisa estar sempre pesquisando. Redes como o del.icio.us permitem que você pesquise pelos favoritos que outros usuários com interesses semelhantes aos seus, salvaram e acham importante. Esse tipo de pesquisa trás resultados diferentes da pesquisa do Google. Ainda temos uma infinidade de redes, que já foram abordadas aqui no Blog como o SlideShare e teacherTube.
Saber como funcionam Blogs e Wikis: Os responsáveis por boa parte do conhecimento gerado no meio acadêmico são professores e pesquisadores que publicam comentários e atualizações sobre suas pesquisas, nas mais variadas áreas em Wikis e Blogs. Um professor que queira usar internet como apoio, deve saber como usar esses sistemas em proveito das suas aulas, quem sabe até usar ele como ponte para trazer o pesquisador para a sua sala de aula, mesmo que de maneira virtual.
Conhecer e usar RSS: O RSS é uma ferramenta extremamente poderosa para quem gera conteúdo! Os professores que usam com eficiência esse recurso podem acompanhar atualizações em web sites de maneira automática. Assim você estará sempre atualizado nos assuntos relacionados a sua aula.
Saber como funciona e internet: Não leve essa recomendação ao pé da letra, você não precisa conhecer os protocolos de transmissão de dados, mas sim a maneira como as coisas acontecem na internet e como ela revoluciona a educação. Por exemplo, saber o que são os sistemas LMS como o Moodle, podem evitar que você seja surpreendido quando a sua instituição de ensino comece a usar ensino semipresencial. Muitos docentes ainda ficam distantes do computador como ferramenta de estudo, se limitando apenas a usar o e-mail. Se esse é o seu caso, mude a sua mentalidade o mais rápido possível!
Bem, acho que isso resume bem as competências e conhecimentos necessários para os professores que queiram usar tecnologia como apoio em suas aulas. Repare que as recomendações levam para a criação do ambiente pessoal de aprendizagem, que já havia sido comentado aqui no Blog.
Pronto! Agora você já sabe por onde começar. Agora é só colocar a mão na massa e adaptar o seu plano de ensino, para usar tecnologia.
Lembre que o número de alunos que usa internet, pelo menos para entretenimento está crescendo. O avanço da economia está fazendo com que cada vez mais pessoas comprem seu primeiro computador. Em pouco tempo, isso será sentido em sala de aula. Basta um professor começar a usar internet como apoio, que os alunos começam a perguntar para os outros professores “Por que sua aula não está na internet também?”. Qual será a resposta do professor?
Artigos Relacionados:
Guia para ensinar com tecnologia
Recursos para aula: Base de perguntas para avaliação
Recursos e dicas para revisar o plano de aula
Estratégias para revisar o plano de aula
Como usar Wikis na educação superior?


Fonte:http://www.colaborativo.org/blog/2008/05/21/competencias-necessarias-para-usar-
tecnologia-em-sala-de-aula/

Autor: Allan Brito

CAPACITAÇÃO DO SALTO PARA O FUTURO




"Os homens não são somente eles, são também a região onde nasceram, a fazenda ou apartamento, a cidade onde aprenderam a andar, os brinquedos com que brincaram em crianças, as lendas que ouviram dos mais velhos, a comida que se alimentaram, as escolas que freqüentaram, os esportes em que se exercitaram, os poetas que leram e o Deus em que acreditaram. Todas estas coisas ninguém pode conhecê-las somente por ouvir dizer, e sim se as tiver sentido? "

(Maygham, W. Somerset O Fio da Navalha )

Assim sendo, e considerando que o processo de ensino-aprendizagem deve proporcionar uma prática pedagógica de liberdade, onde o cidadão-aluno seja construtor de conhecimentos socialmente elaborados e evidenciando da mesma forma, que a fundamentação teórica inova e desperta a consciência e compromisso dos agentes envolvidos direta ou indiretamente com a educação, foi desenvolvido através do Programa Salto Para o Futuro a série A Cidade como Espaço Educativo no NTE São Joaquim, o primeiro curso de capacitação para os professores. Os temas desta série evidenciados foram: Cidade e Cidadania, Patrimônio e Memória, Pluralidade e Diversidade.
O respectivo curso aconteceu nos dias 04/05/09/10 e 11 de Setembro, obtendo a participação de 14 ( catorze) profissionais da educação, envolvendo as redes Estadual e Municipal.
O resultado final deste trabalho, acreditamos ter sido de valorosa contribuição aos participantes, que demonstraram satisfação com relação as suas expectativas sobre o curso.
Para nós, equipe do NTE, foi também uma experiência primeira, com bom êxito, apesar do restrito número de participantes que aderiram ao convite.
Gostaríamos que se não todos, mais grande parte dos educadores pudessem engajar-se conosco nessa tarefa de estarmos nos reciclando e aproveitando as oportunidades que nos são oferecidas para concretizar nosso processo de formação continuada e permanente.

14 de ago de 2008

EDUCAÇÃO DIGITAL:INTRODUÇÃO AO LINUX EDUCACIONAL


Capacitação 40 Horas

O Curso Introdução à Educação Digital iniciou em 12/08/2008 no NTE de São Joaquim e nas UEs, com as multiplicadoras: Cecília, Marilza, Danielle e Rita.
Participaram do curso os professores da
EEB. São José, EEB. Alexandre de Gusmão, EEB. Araújo Figueiredo.


Objetivos do Curso:

-Familiarizar os profissionais da educação com a utilização de recursos básicos de computadores (sistema operacional Linux Educacional) e Internet.
-Oferecer subsídios teórico-metodológicos-práticos para que os profissionais da educação possam compreender o potencial pedagógico de recursos das TIC no ensino e na aprendizagem em suas escolas;
- Planejar estratégias de ensino e de aprendizagem que utilizem recursos tecnológicos disponíveis,
- Criar situações para a aprendizagem que levem os alunos à construção de conhecimento, à criatividade, ao trabalho colaborativo;
- Utilizar as TICs nas estratégias docentes, promovendo situações de ensino que focalizem a aprendizagem dos aluno

MENSAGEM

“Quem educa sabe das dificuldades que não raramente vêm acompanhadas de sofrimento, angústia, descobertas e de conquistas lentas e graduais. Um educador apaixonado também sofre. Mas sofre a emoção de lidar com os desafios da sua prática pedagógica que deverá culminar com o incentivo e promoção não só do saber, mas também a do servir ao próximo e o de poder contribuir para que cada um encontre o real significado do processo da sua escolarização”.
(Jacqueline Rauter de Vasconcellos)

Equipe GERED/NTE, 2008.

7 de ago de 2008

SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA


Nos dias 31/07 e 01/08/08 os profissionais da rede pública estadual, com ênfase para os professores de Ciências e Biologia, Especialistas e Assistentes Técnico Pedagógicos das 10 UEs da rede estadual de ensino, num total de 34 profissionais da educação participaram do Curso de formação continuada "Sexualidade na Adolescência".
Promovido pela SDR/GERED através da Supervisão de Educação Básica e Profissional em parceria com a Fundação Tulia Matos de Souza e Instituto Kaplan.
Com o objetivo de oportunizar a ampliação de conhecimentos sobre sexualidade para que os profissionais da educação tornem-se Agentes de Prevenção em cada uma das 10 UEs vinculadas à SDR/GERED/São Joaquim/SC;
Carga-Horária: 40 h/a (16 h/a presenciais, 20 h/a a distância e 04 h/a socialização/mostra de conhecimentos)
Etapa presencial: 31/07 e 01/08/2008, nas dependências do São Joaquim Park Hotel;
Etapa a distância e socialização/mostra de conhecimentos: em cada uma das 10 UEs envolvidas.
KITs: cada UE recebeu 01 KIT contendo três jogos educativos sobre sexualidade na adolescência.

30 de jun de 2008

HISTÓRICO NTE

NTE SÃO JOAQUIM


O Programa Nacional de Informática - PROINFO, foi criado no ano de 1997, com o objetivo de introduzir as novas Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Públicas, articuladas as ações do Núcleo de Tecnologia Educacional - NTE.
A implantação do NTE em São Joaquim ocorreu em novembro de 2007 e para dar continuidade aos trabalhos, foi formada uma equipe composta por:

Rita de Cássia da Silveira Bett - Integradora de Tecnologia e Coordenadora do NTE;

Danielle de Brida Amaral Quilante - Analista Técnico em Gestão de Desenvolvimento Regional e Responsável pelo Censo Escolar e Sistema Educacenso.

Marilza Apª Ehing de Brida - Coordenadora do Salto para o Futuro;

Cecilia Lapolli Chiodelli - Coordenadora do TV Escola.

O trabalho da equipe do NTE de São Joaquim está em fase inicial e gradativamente vem se organizando e se estruturando para articular o processo de formação continuada dos educadores e implementação do uso pedagógico das Tecnologias de Informação e Comunicação nas UEs das redes públicas.
Em São Joaquim o Núcleo de Tecnologia Educacional faz parte da Gerência de Educação - GERED, e desenvolve atividades de capacitação dos profissionais da educação com o intento de instrumentalizá-los para utilizar o aparato tecnológico disponível.
Através dos Programas TV Escola e Salto para o Futuro, o NTE busca sensibilizar e instrumentalizar não só os educadores, mas toda a equipe administrativa das UEs, contribuindo significativamente na utilização das TICs.
Outra atribuição do NTE consiste na manutenção, atualização e empréstimo do acervo de fitas de vídeo e DVDs com as séries de programas veiculados no canal educativo TV Escola, para as redes de ensino público e privado, tendo em vista os profissionais da educação.
O Núcleo presta também atendimento de suporte e consultoria técnico-pedagógico às escolas que possuem laboratórios de informática, assessorando-as na resolução dos problemas que envolvem as Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, bem como manutenção dos equipamentos, da internet e e-mails.
Ainda é de responsabilidade do NTE a Coordenação Regional do Censo Escolar e Sistema Educacenso, que tem como função servir de base para formulação, implementação e avaliação de políticas públicas de educação, bem como distribuição de recursos do governo federal aos estados, aos municípios e às escolas em programas tais como: FUNDEF, PNLD, Transporte Escolar, Alimentação Escolar, Dinheiro Direto na Escola, entre outros.
Diante de todo este aparato tecnológico da modernidade, o que se espera é que as UEs que pertencem a SDR/GERED/São Joaquim, possam utilizar os instrumentos tecnológicos como ferramentas de apoio e enriquecimento do processo ensino-aprendizagem.